MEI

6 passos para empreender sem abandonar o emprego atual

Se tratando de estabilidade financeira, a ideia de empreender sem abandonar o emprego parece cada vez mais interessante. 

Criado 08/07/22         

Compartilhe:

empreendedor e CLT

De fato, o que mais preocupa quem quer abrir o próprio negócio é a incerteza sobre os rendimentos, principalmente nos primeiros meses quando ainda se está conquistando espaço no mercado. Em geral, esse medo também é uma das razões mais comuns para adiar o sonho de trabalhar por conta.

Para aqueles com emprego formal e salário fixo, abrir mão dessa estabilidade e se arriscar no empreendedorismo é ainda mais difícil. Então fica a pergunta: é possível dar os primeiros passos no investimento desejado sem precisar abrir mão da segurança que já tem? Continue neste post e entenda tudo o que você precisa saber para empreender sem abandonar o emprego e garantir o sucesso do seu projeto.

1. Comece com essas 3 perguntas

Antes de embarcar num novo projeto, é necessário entender seus objetivos e o que precisa para alcançá-los. Por mais que pareça um grande sonho ser dono da própria empresa, sem um bom planejamento financeiro isso pode se tornar um pesadelo. Agir por impulso pode não só comprometer os ganhos, como gerar prejuízos. Então antes de dar os primeiros passos, faça essas perguntas a si mesmo:

Por que quero começar um negócio?

Existem diversas razões para querer abrir a própria empresa, saber o que despertou esse interesse é importante para traçar uma estratégia de negócios. Por exemplo, se o objetivo é construir um grande patrimônio e gerar riquezas, precisa ter um plano sólido e de longo prazo. Mas isso também significa que os passos serão mais lentos e o resultado virá mais devagar.

Por outro lado, quando se quer obter uma renda extra instantânea, o ideal é uma atividade que possa ser iniciada facilmente para gerar ganhos imediatos. A empresa deve ter ritmo rápido e bem direcionado, garantindo retorno financeiro o mais rápido possível.

Quanto consigo investir?

Sim, é possível empreender com pouco investimento, ainda assim é preciso algum valor para começar. Seja comprando matéria prima, adquirindo equipamento de produção ou mesmo custeando a adaptação física do local de trabalho. O valor necessário deve ser compatível com seu orçamento inicial.

Também entenda se você precisa de retorno financeiro rápido ou se está disposto a correr alguns riscos. Algumas pessoas acabam optando por utilizar o cartão de crédito nas primeiras compras e não precisar ter o dinheiro em caixa, essa pode ser uma boa estratégia desde que bem planejada.

Seja como for, é preciso analisar se o investimento não ultrapassa o valor dos ganhos iniciais. O equilíbrio entre o que gasta e ganha é a chave para a lucratividade. Comece pequeno e invista aos poucos, avalie os primeiros resultados e depois planeje as próximas compras. 

Sei como administrar uma empresa?

Não estamos falando de uma formação em Administração ou Contabilidade, na verdade você pode até contratar esses profissionais futuramente para ajudar na gestão. Inicialmente o mais importante é entender como funciona o mercado em que está entrando, se preparar para as variações que ele pode sofrer e como se destacar no ramo escolhido.

De acordo com o Sebrae, quase 25% das empresas encerram suas atividades em menos de 2 anos por não saber como administrar capital de giro, lucratividade e dívidas. Nesse sentido, você pode procurar orientação para superar os desafios. Inclusive o próprio Sebrae que presta suporte a pequenos e grandes empresários ajudando a melhorar o desempenho dos projetos.

2. Aprenda a gerenciar seu tempo

Se você já tem as respostas para as perguntas anteriores, já pode dar o próximo passo. Antes de mais nada, é preciso planejar como dar toda a atenção que uma empresa iniciante precisa sem que isso impacte nas atividades atuais. É imprescindível organizar a rotina e até abrir mão de algumas horas de lazer para se dedicar ao empreendimento. Bem como conhecer ferramentas que otimizem seu trabalho e usar todos os recursos possíveis ao seu favor.

Primeiramente estabeleça um cronograma diário definindo horários fixos para cada tarefa, contabilize quanto tempo leva cada uma. Posteriormente, defina as prioridades e afazeres indispensáveis, dê atenção principalmente aos prazos legais e burocráticos. Tome o cuidado de fazer as coisas com antecedência, garantindo que haja tempo hábil e margem de atraso para quando algo fugir do planejado.

3. Faça da internet sua maior aliada

De modo geral, o que puder ser feito online, também pode ser automatizado. O uso dessas ferramentas permite que você poupe tempo em algumas coisas para se dedicar melhor às outras. Além disso, com o alcance da internet, sua empresa tem mais chances de conquistar clientes diferentes.

Atualmente tem muito recurso bom para otimizar a rotina, a maior parte delas tem opções de baixo custo e até gratuitas. Pesquise o que pequenas empresas estão usando e migre para plataformas maiores conforme seus ganhos forem expandindo.

Estude o público-alvo que você quer alcançar e como ele se comporta online. A partir disso defina em quais redes sociais sua empresa deve ter um perfil e que tipo de conteúdo entregar. Seja coerente ao produzir suas publicações, conquiste o cliente com o que ele já costuma consumir. Entretanto, tenha em mente que não é preciso estar em todas as plataformas para ter sucesso. Se inscreva apenas nas que conseguir ser ativo, mais vale ter conteúdo de qualidade em apenas uma do que ter várias e não conseguir administrar.

4. Use ferramentas para otimizar o tempo

Como dito no tópico acima, a internet está repleta de sistemas e recursos que automatizam boa parte do trabalho. Separamos uma lista com as principais ferramentas que ajudarão a planejar o passo a passo da sua empresa sem estourar o orçamento. 

Canva

Com diversos templates prontos e layout bem intuitivo, o Canva é a opção perfeita para quem tem pouco ou nenhum conhecimento de PhotoShop. Disponível para celular e desktop, o site permite criar imagens e vídeos de maneira bem simples. Além disso, oferece arquivos pré-formatados no tamanho e resolução das redes sociais mais usadas para criar seus posts personalizados.

O Canva oferece uma versão paga com vários recursos de edição de imagem e vídeo, além da versão gratuita com recursos limitados, mas suficientes para atender a demanda da maioria das pessoas que estão iniciando seus projetos.

Hootsuite

Essa ferramenta permite a integração de diversas páginas no FacebookTwitterPinterest e LinkedIn. Também é possível criar e programar postagens agendadas com antecedência nessas mesmas redes sociais.

Combinado ao Canva, o Hootsuite é ideal para colocar em prática o plano de marketing. Crie postagens no primeiro e programe no segundo, assim você não precisa estar nas redes sociais em tempo real. É uma grande ajuda, principalmente se não puder acessar seu perfil durante o expediente no emprego formal.

NFE.io

Apesar de ser uma ferramenta paga, vale a pena investir se tiver um volume alto de notas fiscais. Isso porque o sistema permite emitir e enviar notas para os clientes de forma automatizada, agilizando boa parte da parte da burocracia. Inclusive, o site promete a emissão em massa do documento utilizando o Excel.

Trello

Organização é o requisito principal para garantir o bom funcionamento do seu novo negócio. Nesse sentido, ferramentas como Trello são fundamentais já que possibilita atribuir, organizar e programar tarefas. Se trabalhar sozinho, pode usar as colunas para separar as atividades por assunto, porém nas equipes cada pessoa ou setor pode ter sua própria coluna.

WhatsApp Business

Assim como o aplicativo padrão do WhatsApp, o Business permite troca de mensagens e mídias vinculado a um número de celular. A diferença está em alguns recursos para empresas como a inserção do catálogo de produtos, podendo finalizar a compra sem sair do app. Dá para definir o horário da loja para horário comercial, personalizado ou sempre aberto. Além de poder programar mensagens automáticas de saudação e ausência.

5. Encontre o diferencial da sua empresa

Não basta ingressar no mercado, é preciso se manter. Em outras palavras, é preciso conquistar o cliente mostrando que sua empresa tem algo que ele não encontra em outro lugar. Esse é o diferencial do seu negócio, a razão pela qual as pessoas vão procurar seus serviços.

Sendo assim, é válido investir algum tempo para entender o que seus concorrentes já entregam e como ser diferente deles. Em geral, preço baixo atrai clientes, mas não retém. Reduzir demais o valor dos produtos e serviços pode causar prejuízos ao invés de impulsionar as vendas.

Entenda que o diferencial pode estar em como a empresa se relaciona com o público-alvo, o formato de entrega, a qualidade oferecida, pós-venda personalizado e até o tom de voz adotado. Principalmente esse último, já que cada vez mais as empresas investem em construir uma persona e se comunicar diretamente com ela nos diversos canais. As redes sociais oferecem boa abertura para essa comunicação.

Assim que estabelecer o diferencial, construa as estratégias da empresa em torno disso. Em outras palavras, garanta que essa característica fique sempre em destaque e que passe a ser a primeira coisa na qual seu cliente pensa quando lembra da sua marca. É assim que se constrói uma identidade sólida e ganha confiança no mercado.

6. Saiba quando deixar seu emprego

Eventualmente, a dedicação e investimento na nova empresa vai gerar bons resultados e fazer com que ela cresça. Com isso, a demanda aumenta e os lucros também. Trabalhe para que os números permaneçam estáveis e monitore o desempenho para saber a hora de abandonar tudo em prol do seu negócio.

Se fizer a transição antes da hora, os lucros podem ainda não ser suficientes para manter suas despesas. Por outro lado, não se dedicar integralmente à sua empresa quando ela precisar pode pôr tudo a perder. Então qual o momento ideal de dar exclusividade ao seu empreendimento?

Quanto melhor definidos estiverem os objetivos desde o início, mais fácil será identificar o timing da transição. A constância dos rendimentos define se a empresa é autossuficiente e o único meio de ter segurança é monitorando o desempenho. Quando tiver certeza da estabilidade nos lucros, é hora de se dedicar mais à expansão do projeto inicial.

Bônus: Organização financeira é a chave do sucesso

Com toda certeza! Não apenas nos negócios, mas nas finanças pessoais também é importante conhecer seu dinheiro e fazer ele trabalhar pelos seus objetivos. O segredo para garantir estabilidade é ter metas bem definidas e disciplina para seguir à risca o que foi planejado. Como resultado, mesmo nos momentos de instabilidade terá margem para traçar novas estratégias e manter a segurança dos negócios.

Tenha o hábito de acompanhar os conteúdos do nosso blog. Além de negociar ótimos descontos ao pagar suas dívidas, aqui na Solução Financeira você sempre encontra dicas para organizar suas finanças e garantir o sucesso das suas aspirações. Nos vemos no próximo post!

Posts relacionados

Solução Financeira – CNPJ: 23.847.868/0001-27