Início    Site    Sobre Nós

Descubra de uma vez por todas como funciona o cheque especial

Uma das linhas de crédito mais comuns no Brasil é sem dúvida do cheque especial, muitos brasileiros, por escolha ou não, acabam caindo nele e é por isso que ele também é um dos principais motivos de endividamento no país. Continue lendo este texto e entenda como realmente funciona esse tipo de empréstimo.

Criado 13/04/22         

como funciona o cheque especial?

Compreender como funciona o cheque especial é uma necessidade cada vez mais urgente no país. Essa forma de crédito é uma das mais comuns no Brasil e também motivo de pesadelo para muitos. 

No ano de 2021, a população brasileira bateu recorde com mais de 70% de brasileiros inadimplentes, de acordo com levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), sendo o cheque especial uma das principais causas do endividamento. 

Apesar dos perigos que ela representa, essa modalidade de crédito é muito comum e está entre as mais utilizadas pela população, graças a praticidade e a contratação simples e fácil, a qual pode ser também um dos motivos do perigo por trás dessa forma de empréstimo

Em muitos casos o limite pré-aprovado, outro nome dado ao cheque especial, é utilizado sem planejamento por consumidores que continuam gastando mesmo quando não há mais saldo disponível sem dar muita atenção às consequências. 

Tem dúvida sobre como é o funcionamento desse tipo de empréstimo? Então continue lendo este texto e esteja pronto para não cair na armadilha do cheque especial. 

O que é cheque especial?

O cheque especial funciona como uma forma de “empréstimo automático”. O valor do cheque especial é um crédito pré-aprovado que o correntista recebe ao abrir sua conta no banco. 

Quando o cliente utiliza todo o saldo de sua conta bancária, o banco automaticamente empresta esse valor para ele continuar consumindo. Contudo, como em toda forma de empréstimo existem cobranças de juros sobre o valor concedido.  

Imagine que você tem 200 reais em sua conta e compra um produto de 300, nesse caso você estará utilizando 100 reais do valor disponível do seu cheque especial e essa quantia deverá ser devolvida com juros e será cobrada automaticamente ao entrar algum dinheiro na conta. 

É essa facilidade que faz com que essa modalidade de crédito tenha as maiores taxas de juros do mercado. 

Como funciona o uso do cheque especial?

Entender como o funcionamento dessa forma de empréstimo é diferente das demais modalidades é muito importante para que possamos compreender sua dinâmica e utilizá-la, ou não, de maneira assertiva e consciente. 

Ao entrar nessa modalidade de crédito, a pessoa não precisa realizar uma solicitação de crédito, já que ele é automático e nem recebe um contrato detalhado com todas as taxas e encargos financeiros que serão cobrados. Essa maneira automática faz com que, na maior parte das vezes, as pessoas acabem se enrolando em dívidas e tornando-se inadimplentes

A definição do limite é dada pelas instituições financeiras levando em consideração algumas informações básicas do cliente, sem realizar análises complexas. Em geral, é levado em consideração apenas a renda mensal média média movimentada na conta, o histórico de pagamentos com a instituição e o tempo de abertura da conta. 

Na verdade, muita gente já chegou a usar o cheque especial, mas por não entender completamente seu funcionamento não se deu conta. 

Em resumo, é preciso entender que o cheque especial é, basicamente, um tipo de crédito oferecido pelo banco, um tipo de empréstimo pré-aprovado que o banco deixa disponível para que você utilize a qualquer momento. E é aí que está o perigo! É preciso estar sempre atento para não entrar ou para entrar de forma consciente no cheque especial. 

Novas regras do cheque especial

Em 2018, foram implementadas novas regras sobre o funcionamento do cheque especial, essas novas determinações surgiram com o objetivo de evitar cobranças automáticas, facilitar o esclarecimento dos clientes e diminuir o número de inadimplentes

As medidas buscam garantir que você, cliente do banco, utilize essa linha de crédito de uma maneira mais consciente e com autonomia na sua decisão, tendo a noção de que está acionando essa modalidade de empréstimo e não utilizando um dinheiro disponível no seu orçamento. 

Veja a seguir as principais mudanças:

  • Aviso: passa a ser responsabilidade do banco enviar notificações assim que você entrar no cheque especial. As mensagens devem orientar e educar os correntistas sobre o uso dessa forma de crédito;
  • Extrato: é obrigatório que na descrição do extrato esteja separado e discriminado o saldo disponível e o limite do cheque especial, essas informações precisam aparecer de forma clara. Dessa forma, evita-se a confusão sobre o saldo real e o que está disponível além com o cheque especial; 
  • Negociação: é seu direito como consumidor negociar os valores abusivos cobrados pelas instituições financeiras, negociando junto a assessorias como a Solução Financeira é possível conseguir até 70% de desconto. Nesse sentido, a negociação pode ser uma das melhores formas de deixar essa forma de empréstimo para trás; 
  • Oferecer linha com juros mais baratos: se a sua dívida com o cheque especial ultrapassar a 15% do seu limite de crédito por mais de 30 dias, o banco deve oferecer uma alternativa com juros menores e maior facilidade de quitação. 

Qual a taxa de juros do cheque especial?

Desde janeiro de 2020, o Banco Central (BC) definiu a taxa de juros máxima de 8% ao mês e 150% ao ano para o cheque especial. Apesar de parecerem números altos, é preciso ter em mente que, antes dessa resolução do BC, os juros chegavam a 12% ao mês ou 300% ao ano em algumas instituições financeiras. 

Nesse sentido, a decisão de 2020 já demonstra um avanço na luta contra os juros abusivos. Entretanto, o cheque especial ainda figura entre os juros mais altos do mercado. Em um exercício de comparação, ao colocarmos ele do lado de outras formas de crédito como o empréstimo com garantia de imóvel de algumas instituições financeiras que pode ficar com juros em cerca de 11% ao ano – menos que 1% ao mês, fica perceptível a grandeza das taxas cobradas. 

De maneira geral, cada instituição financeira determina sua taxa de juros, dentro do limite proposto pelo BC, por isso é importante que você confira qual é a taxa do seu banco. 

Por que os juros são tão altos?

O principal motivo dos juros tão altos nesse tipo de empréstimo é a falta de garantia e insegurança que o banco tem a respeito do recebimento do valor concedido. Isso acontece por ele ser tão facilitado e não solicitar garantias ou consultas mais aprofundadas de crédito. 

Ou seja, o alto risco de inadimplência faz com que o banco busque formas de prevenir-se diante dessa insegurança refletindo nos valores dos juros. 

Como calcular os juros do cheque especial

É muito importante fazer o cálculo dos juros do cheque especial para compreender de forma correta seu funcionamento e estar preparado para administrar sua dívida de forma mais consciente. Um ponto principal desconhecido por muitos é que, embora as taxas sejam acrescidas ao valor principal de forma mensal, a cobrança é realizada por dia, sob juros compostos. 

Ou seja, no primeiro dia de uso do cheque especial a taxa recai sobre o total inicial devido. No próximo dia, ela recai sobre o valor inicial mais o juro do dia anterior e assim por diante. 

Dessa forma, o resultado acaba sendo valores altíssimos e abusivos.  

Além disso, é preciso levar em conta o IOF (Imposto sobre Operação Financeira) que também é acrescido ao valor, mesmo naqueles bancos que não cobram juros nos primeiros dias de uso do cheque especial. 

Agora, você já sabe como funciona o cheque especial e já está pronto para tomar decisões de forma consciente sobre seu dinheiro. 

Aqui no blog da Solução Financeira, nosso objetivo é facilitar a sua administração financeira e trazer de uma forma mais acessível os conteúdos que estão por aí de forma difícil, fazendo com que você possa ser o senhor da sua vida financeira. Para isso, continue acompanhando nosso blog. Até a próxima! 

Posts Relacionados

Solução Financeira


Siga-nos

Solução Financeira – CNPJ: 23.847.868/0001-27